Liderança, engajamento e sucesso dos clientes

Postado por Agatha Moreira em 31/jul/2020
thumb image

Gestão de Atléticas

Afinal, uma pessoa nasce líder ou se torna líder? 

 

A pessoa pode nascer com características para liderar, mas é preciso aperfeiçoá-las e para isso é necessário praticar.

 

Ninguém nasce de cara um BOM líder, as experiências ao longo da vida contribuem para “soltar” essa liderança, ou seja, você pode se tornar um líder também! 

 

Para ser um bom líder é preciso ter pulso firme e atitude, mas também saber ouvir opiniões diferentes, ser resiliente, paciente, saber comunicar bem, ser organizado (a), proativo (a), inspirar confiança, respeitar e etc..

 

E já que para aperfeiçoar essas características é preciso ter experiência, convidados o Irwin Alves – Ex Presidente do Grêmio de Engenharia Civil da UFMG e ex capitão e vocalista da Bateria Engrenada de Engenharia da UFMG – para contar um pouco de suas vivências na época da faculdade.

 

Irwin juntamente com outros amigos, foi pioneiros na criação do projeto “A gente já Civil?”  e a partir dele começaram a Bateria Engrenada da Engenharia da UFMG, que nasceu com apoio de outras baterias universitárias.

 

  • Engajamento e motivação

  • Gestão Interna e aprendizados

  • Como deixar seu legado?

  • Dica do mestre

1- Engajamento e motivação

 

Irwin introduz contando que viveu um desafio muito grande na época da bateria: assumir responsabilidades e ser um bom capitão.

 

“Para ser capitão é preciso ser protagonista. O cara tem que ser realizador, tirar ideias do papel, tomar frente e isso vai ser difícil..” – Diz Irwin.

 

Outro fator importante é gastar bastante tempo escolhendo as pessoas que estarão ao seu lado, saber quem você realmente pode contar.

 

Para engajar e motivar os membros da bateria, Irwin fala que os principais passos são: saber ouvir todos e inspirar autonomia. Acrescenta que autonomia é importante para decidir, mas é fundamental dar espaço para os outros se manifestarem também.

 

É essencial entender o propósito de cada um, pois a motivação nunca está no outro e sim na pessoa, logo sabendo o objetivo dela, fica mais fácil de chegar no caminho final.

 

Contudo, o negócio é buscar um objetivo em comum, que faça sentido para todos, fazer com que todos se sintam parte do ideal, assim cada um busca sua automotivação.

 

Para Irwan, uma forma de motivar e atrair membros na bateria é sempre comemorar as conquistas, seja ela qual for. 

 

Traçar um objetivo para a bateria e em cima disso um plano de ação. 

 

O que cada diretor vai fazer? Onde queremos chegar? 

 

E assim, cada um terá consciência da sua função e responsabilidade. Deixar o escopo da estratégia visível também facilita para todos.

 

2- Gestão interna e aprendizados

 

É de suma importância fazer com que as pessoas que são da bateria sejam desenvolvidas e reconhecidas por suas vitórias, pois elas são como clientes!

 

É necessário construir uma cultura e investir/reforçar ela internamente e externamente para ajudar nos processos, cerimônias e eventos.

 

Troca de experiências com outras Atléticas/baterias  é uma oportunidade muito grande para desenvolver a AA.

 

Você tem que conseguir definir qual fonte de aprendizados é realmente importante e que faz sentido para você, tentar seguir uma rotina de aprendizados e saber filtrar o que vai te trazer conhecimentos relevantes.

 

Não adianta querer abraçar o mundo e aprender tudo, é preciso ter um foco. Logo, você mais do que ninguém, precisa ter em mente o que realmente quer aprender. 

 

Para Irwin o maior desafio na gestão interna era o de comunicação.

 

É preciso identificar onde os alunos estão e qual o melhor canal de comunicação preferem usar e a partir disso definir as ferramentas e unificar as informações. 

 

Uma dica crucial para descobrir qual o melhor canal é através de pesquisas com o público-alvo.

3- Como deixar seu legado?

 

Construção da cultura e disrupções, são os fatores, que para Irwin fazem a diferença para serem lembrados!

 

Pensar o que sua gestão vai fazer de diferente para isso acontecer, fazer a galera aderir novos conceitos e criar esses rituais é o flow! 

 

Através dos fracassos e olhando para trás que conseguiram inovar e criar novos conceitos.

 

“Definir o objetivo e focar nele. Todos devem ter o objetivo alinhado.”

 

“Saber definir prioridades. Com o que devo gastar energias?” 

 

Errar é normal, vai acontecer com frequência, mas é importante olhar para o erro e tentar entender como mudar e fazer melhor.

 

4- Dica do mestre 

 

Para finalizar com chave de ouro, Irwin aconselha a usar esse momento para experimentação, perguntar para a galera quais são suas necessidades e prioridades,

pesquisar e tentar entender como ajudá-las! 

 

Ou seja, aproveitar o momento para experimentar, errar e se reerguer!

 

Para te ajudar a descobrir o objetivo da sua Atlética, bateria, equipe de cheer e como motivá-los, vamos deixar uma planilha logo abaixo disponível.